Curadoria do Brasil Criativo

ajor
O prazo para o envio das peças candidatas ao projeto Brasil Criativo, realizado pelo IBGM, em parceria com o Sebrae e com apoio da Ajorio, termina no dia 19 de agosto.  Com o objetivo de fomentar a competitividade da cadeia de gemas e joias, o projeto visa criar uma linha de produtos e acessórios visando aos grandes eventos que serão sediados no país durante os próximos anos.
            As peças que serão sugeridas para integrar os catálogos não precisam ser feitas apenas para a Copa e as Olimpíadas. Símbolos e significados que mostram brasilidade e representam o "jeitinho brasileiro" também são aceitas.
            Os projetos de cada candidato serão avaliados por cinco jurados e receberão notas de zero a dez pontos de acordo com cada uma das quatro categorias: criatividade, adequação às macrotendências, adequação ao Brasil Criativo e capacidade de reprodutibilidade em larga escala.
            As designers que optarem por produzir suas próprias peças terão prioridade na hora de selecionar as empresas que ficarão a cargo da fabricação dos desenhos. Serão desclassificados projetos que usarem matéria prima do exterior. A ficha técnica para serem colocadas as propostas de peças pode ser encontrada no sitehttp://www.projetobrasilcriativo.com/. Ela deve ser enviada pelo correio para a sede do IBGM.
            Entre os dias 15 a 18 de julho, as associadas da Ajorio tiveram palestras e apoio da consultora Larissa Ortiz, da agência D Brasil. Ela deu dicas de como começar a direcionar o pensamento para desenvolver as peças.
            A marca das empresas brasileiras da economia criativa é atrelada diretamente ao país de origem. “Primeiro se vê o país, depois a marca. Brasilidade é o DNA das empresas. Não importa o nicho ou o tipo de produto. Para o Brasil Criativo, é necessário pensar na brasilidade que o mundo quer ver”.
Outra sugestão para as empresas é explorar as vantagens competitivas do país. “Não se pode pensar individualmente. Temos que trabalhar juntos. O inimigo não está ao lado”.
         Para a criação de peças, Larissa lembra dos “produtos de combate”: com um preço bom, que servem de chamariz a marca. Nem sempre têm boa rentabilidade, mas servem como um meio de comunicação da empresa.
Ela sugere que, em uma época em que todos se preocupam mais com sustentabilidade, os associados desenvolvam peças pensando no conceito “óculos 4D” – onde recursos e resultados sejam pensados em quatro dimensões: reciclar o lixo, agregar valor econômico a ele, gerar emprego para a comunidade e resgatar a cultura local. diversos materiais podem ser usados ou servirem de inspiração, como babaçu, capim dourado, fibra de piaçava, palha de milho, pedras, sementes e cascas, fibra de cana, escamas de peixe, conchas, ossos, trançados manuais, folhas, búzios, madeira, pele de tilápia, penas, metais, lixo urbano e amuletos.
            Elementos que representem os valores do povo carioca, como inovação, paz, alegria, beleza, estilo, energia e paixão também podem ser explorados. Poemas, músicas, favelas, significados, crenças, crendices, história, ditados populares, réveillon, bossa nova e Maracanã também são ideias para começar.
Serão selecionados 100 produtos, que estarão distribuídos no catálogo de acordo com os custos de produção: 65 peças terão valor de até R$10; 20 entre R$10 e R$20; 10 entre R$20 a R$50; e cinco acima de R$50. O catálogo será reformulado de seis em seis meses.

Serviço: endereço para envio das peças
IBGM - PROJETO BRASIL CRIATIVO
Centro Empresarial Liberty Mall
SCN Quadra 02 Torre A Conjunto 1107
Brasília DF 70712-903

Nenhum comentário

Deixe seu comentário!

Tecnologia do Blogger.
TOPO