The Cloisters revive arte medieval em Nova York por Isabella Blanco

Talvez por ficar fora do “circuito das águas”, o The Cloisters seja um museu pouco visitado. O que é uma pena, já que se trata de um programa bem inspirador. Braço de arte medieval européia do Metropolitan Museum, de Nova York, ocupa um edífício construído há 75 anos seguindo ditames da arquitetura da época, especialmente para abrigar obras criadas durante a Idade Média.

 Além das esculturas, tapeçarias, pinturas, iluminuras, arte em ferro, afrescos e elementos arquitetônicos (portais, abóbodas , altares e janelas , etc), fiquei encantada com a sala do tesouro. Lá, joias e objetos de culto em prata, ouro, marfim, âmbar entre outros materiais nobres , tiram o fôlego de qualquer um. A galeria de vidros e seus medalhões pintados nos século XV e XVI são um capítulo a parte. Assim como o claustro e suas pedras cor de rosa, os jardins e a horta, que são cultivados ao estilo medieval, comportando vegetais, flores, plantas e ervas do período.

O museu, erguido graças aos esforços do milionário norte-americano John D. Rockefeller Jr., fica ao norte de Manhattan, no parque de Fort Tryon.

www.metmuseum.org/cloisters


Colunista - Isabella Blanco


Jornalista há 30 anos, fotógrafa e designer de joias, Isabella Blanco foi criadora da Revista Retrô – Coleções & Antiguidades, publicada no Brasil entre 2005 e 2008; fez cursos de design de joias na Escola Nova de Ricardo Mattar, em São Paulo; de História da Arte na Escola do MASP, em São Paulo, e no Museu do Louvre, na França; e de gemologia na AJESP – Associação os Joalheiros do Estado de São Paulo (2011), entre outros.

Isabella desenha suas próprias joias desde a década de 80, quando começou a estudar e colecionar exemplares de época, com ênfase nos períodos Vitoriano, Art Nouveau e Art Déco. Em 2009, lançou-se no mercado de joalheria e, em 2012 abriu seu ateliê em São Paulo.

Ainda em 2012, levou a mostra “Joias com História – Do Vitoriano ao Art Déco” para o Museu de Arte Sacra de São Paulo, encerrando os dois meses de exposição com um ciclo de palestras sobre a História da Joalheria dentro da São Paulo Design Week. Em 2013, participou do Salão de Artes no Clube A Hebraica, e da coletiva de joalheiros no lançamento da Maison Baccarat, ambos na capital paulista. Suas peças podem ser encontradas na loja do Museu da FAAP, na Central de Designers e em seu ateliê, todos em São Paulo.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário!

Tecnologia do Blogger.
TOPO