O tesouro de Toledo por Isabella Blanco


Impossível não se deter por, pelo menos, meia hora na pequena sala que abriga parte do tesouro da Catedral de Toledo, cidade medieval a 80 km ao sul de Madrid, Espanha.
No passado, todo o tesouro ficava exposto mas, desde 1900, por questões de segurança, apenas uma pequena amostra é mantida aberta à visitação pública.



E mesmo neste pequeno universo, é possível destacar exemplares espetaculares da ouriveraria dos séculos XVI até início do século XX como os anéis e crucifixos de bispos e cardeais em ouro, prata, rubis, diamantes, ou esmalte.
Coroas da Virgem do Sagrário, padroeira de Toledo, também podem ser apreciadas. Uma delas, do século XV, intrincado trabalho em prata, ouro, diamantes, esmalte, pérolas, esmeraldas, rubis e safiras; e a outra, de 1926, de prata e gemas como diamantes, pérolas, ametistas e rubis.
O ponto alto, entretanto, é o ostensorio gótico de ouro e prata, datado do século XVI. Com mais de três metros de altura e 18 kilos de ouro, sai pelas ruas deToledo todos os anos, durante a celebração de Cospus Christi.
A catedral, por sua vez, levou quase 300 anos para ser construida, a partir de 1226, e é considedrada uma das maiores catedrais da cristandade e uma das mais importantes da Espanha.




Colunista - Isabella Blanco


Jornalista há 30 anos, fotógrafa e designer de joias, Isabella Blanco foi criadora da Revista Retrô – Coleções & Antiguidades, publicada no Brasil entre 2005 e 2008; fez cursos de design de joias na Escola Nova de Ricardo Mattar, em São Paulo; de História da Arte na Escola do MASP, em São Paulo, e no Museu do Louvre, na França; e de gemologia na AJESP – Associação os Joalheiros do Estado de São Paulo (2011), entre outros.

Isabella desenha suas próprias joias desde a década de 80, quando começou a estudar e colecionar exemplares de época, com ênfase nos períodos Vitoriano, Art Nouveau e Art Déco. Em 2009, lançou-se no mercado de joalheria e, em 2012 abriu seu ateliê em São Paulo.

Ainda em 2012, levou a mostra “Joias com História – Do Vitoriano ao Art Déco” para o Museu de Arte Sacra de São Paulo, encerrando os dois meses de exposição com um ciclo de palestras sobre a História da Joalheria dentro da São Paulo Design Week. Em 2013, participou do Salão de Artes no Clube A Hebraica, e da coletiva de joalheiros no lançamento da Maison Baccarat, ambos na capital paulista. Suas peças podem ser encontradas na loja do Museu da FAAP, na Central de Designers e em seu ateliê, todos em São Paulo.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário!

Tecnologia do Blogger.
TOPO